Usamos cookies para lhe fornecer a melhor experiência possível no nosso website, Ao continuar a navegar neste site, você autoriza o uso de cookies. Para mais detalhes, incluindo sobre como mudar as suas preferências, por favor leia a nossa Política Privacidade.
Mais info Aceitar

​Derivativos Financeiros | Guia de Trading 2020

Julho 14, 2020 16:31 UTC
Tempo de leitura: 23 minutos

Provavelmente, a maioria das pessoas já ouviu falar em ações, títulos ou outros instrumentos financeiros mais conhecidos e tradicionais, embora nunca tenham investido nos mercados de ações antes. No entanto, se falarmos de derivativos financeiros, é muito possível que o desconhecimento seja generalizado. É por isso que decidimos criar este artigo para si, no qual pretendemos explicar o que são os derivativos financeiros, e para que é que os derivativos são usados e como praticar a negociação com instrumentos financeiros derivativos.

Aprenda a Negociar Derivados Financeiros com a Admiral Markets

Neste artigo, iremos mostrar-lhe:

E muito mais!

Derivados Financeiros - Origem

A transação mais antiga com derivativos financeiros remonta à época de Aristóteles, onde se registou um acordo com azeitonas em que o famoso filósofo grego Tales participou. Segundo a história, Tales preveu que a colheita da azeitona do ano seguinte seria boa e por isso, o mesmo garantiu os direitos às colheitas de azeitona locais, pagando uma pequena comissão.

No ano seguinte, quando a colheita foi boa, a procura por azeitona foi tão alta que Tales poderia impor um preço alto para quem quisesse adquiri-la. Porque é que isto é considerado um exemplo de derivativo financeiro? Na verdade, Tales não comprou o ativo subjacente, as azeitonas, mas pagou um depósito para garantir os direitos de utilização através de um contrato. O que o mesmo comprou foi um contrato (um derivado). Se a colheita não tivesse sido boa, as suas perdas seriam limitadas ao depósito que ele pagou.

Muitos anos depois, no século 18 no Japão , os produtores de arroz venderam, além da safra atual, safras futuras a um preço predeterminado, que também como um derivado. Se a definição ainda não estiver clara para si, não se preocupe, iremos aprofundar mais todos os conceitos mais importantes ao longo de todo este artigo!

O Que é um Derivado Financeiro?

Um derivado é uma garantia financeira cujo valor depende ou é derivado de um ativo base ou grupo de ativos (daí o seu nome). O derivado em si é um contrato entre duas ou mais partes e o seu preço decorre de flutuações no preço de um determinado ativo subjacente.

Os ativos subjacentes mais comuns dos derivativos financeiros são as moedas, as ações, títulos , índices de ações, matérias-primas (como o Ouro, Petróleo) e, por alguns anos, as criptomoedas.

De uma forma geral, os derivativos financeiros são adquiridos através de um intermediário financeiro ou corretora, como a Admiral Markets, por exemplo. Os derivativos mais populares são os CFDs ou contratos de diferença, contratos futuros e opções. Mas será que entendemos porque razão é necessário usar os derivativos financeiros no trading?

A melhor ferramenta para quem procura investir nos mercados financeiros é sem dúvida uma boa Plataforma de Trading, como tal, a Admiral Markets disponibiliza de uma forma completamente GRÁTIS a plataforma de negociação MetaTrader 5! Clique na imagem que se segue para iniciar já o seu download:

Descarregue a sua plataforma de trading MetaTrader 5 e comece hoje mesmo a negociar Derivativos Financeiros

Porque Operar Com Derivativos Financeiros?

Inicialmente, os instrumentos financeiros derivativos eram usados para fornecer uma taxa de câmbio mais estável para os produtos negociados internacionalmente, como as moedas: os traders precisavam de um sistema para contabilizar as diferenças de valor de uma moeda para outra. Hoje, os derivativos são baseados em muito mais ativos e existem muito mais aplicações disponíveis.

Um derivado financeiro pode ser usado para três finalidades principais distintas: proteger uma posição num ativo subjacente específico; especular sobre o preço do ativo subjacente com fins lucrativos; aumentar o valor dos ativos mantidos e diversificar o portfólio.

Derivativos Financeiros - Hedge De Uma Posição

Um uso importante dos instrumentos financeiros derivativos é que eles podem ser usados para a gestão correta dos riscos e para as posições de hedge. Como? Eles podem proteger a sua posição contra movimentos de preços. Isto acontece porque a maioria dos derivativos financeiros oferece a capacidade de abrir vendas a descoberto, através das quais você pode ganhar, mesmo que o preço do ativo subjacente caia.

Um hedge é, de uma forma simples, manter uma posição oposta no mesmo ativo ou num ativo relacionado, o que ajuda a mitigar o efeito do movimento de preço oposto.

EXEMPLO

Como exemplo, vamos supor que um trader compra 100 ações do Facebook a um preço de US $ 100 por ação. Ele mantém o seu investimento por um ano e o preço das ações do Facebook chega a US $ 200.

Mas o trader teme que as suas ações se tornem mais baratas por algum motivo em específico (correção do mercado, relatórios de fraqueza, etc.). Neste caso, poderá abrir uma posição de venda através de CFDs das ações do Facebook, permitindo que ganhe enquanto o preço cair. Desta forma, a posição de compra, a longo prazo, inicial do investidor é garantida pelo declínio iminente no preço das ações do Facebook.

Comece a sua jornada no mundo do trading dos derivados financeiros através de uma conta de demonstração gratuita e livre de riscos da Admiral Markets! Clique na imagem que se segue para começar hoje mesmo a negociar nos mercados financeiros:

Negoceie Derivados Financeiros sem riscos através da conta de demonstração da Admiral Markets

Instrumentos Financeiros Derivativos - Especulação

Além do hedge, a maioria dos derivativos financeiros pode ser usada para gerar lucro (especulação) num mercado em baixa. Por exemplo, um trader espera que o mercado de ações dos EUA diminua, mas como é que o mesmo pode tirar proveito desta especulação? Uma boa oportunidade é abrir uma venda a descoberto no Índice Dow Jones ( DJI30 ).

EXEMPLO

Se o cliente abrir uma posição de 10 contratos no índice Dow Jones e cair 1 000 pontos, o trader irá obter um lucro de 10 x 1 000 = $ 10 000. Mas se o trader abriu uma posição de compra e o Dow Jones caiu 1.000 pontos, irá desta forma registar uma perda de US $ 10.000.

Derivativos Financeiros - Aumentar os Ganhos

Talvez uma das características mais atraentes do trading de derivativos financeiros seja a capacidade de usar alavancagem. A alavancagem permite que os traders e investidores não necessitem do valor total da posição, mas sim, apenas uma parte dela, denominada de margem.

Desta forma, o participante do mercado pode controlar a exposição no mercado e aumentar o valor dos seus ativos sem ter que ter o valor total da sua posição na conta de trading.

A alavancagem oferece a vantagem de obter um retorno mais alto com um pequeno investimento inicial. No entanto, é importante observar que os traders e investidores que utilizarem esta ferramenta, também correm o risco de multiplicar as suas perdas se o mercado for contra a sua posição.

Tipos de Derivativos Financeiros

Existem muitos tipos de derivativos financeiros que podem ser usados para diferentes fins. O mercado de derivativos cresceu bastante nas últimas décadas e oferece produtos que podem satisfazer qualquer tipo de tolerância a riscos.

Os derivativos financeiros podem ser negociados em mercados OTC - Over The Counter, não organizados - como CFDs ou contratos por diferença, ou nos mercados de ações, como os futuros. As operações OTC representam de uma forma geral a maioria do mercado de derivados.

Os derivativos financeiros OTC geralmente apresentam mais riscos quando se trata da contraparte da transação. O risco decorre da possibilidade de uma das partes do contrato, por exemplo, entrar em falência e não poder cumprir as suas obrigações, uma vez que ambas são privadas e não reguladas. Por exemplo, um trader compra um determinado derivado financeiro de um intermediário, mas quando decide capitalizar o seu investimento, o mesmo não tem a possibilidade de pagar a dívida.

Neste caso, é melhor garantir que o intermediário que escolhemos seja regulamentado e confiável. Por exemplo, a Admiral Markets oferece aos seus clientes um esquema de compensação de serviços financeiros (FSCS) .

Por sua vez, os derivativos financeiros que são negociados na bolsa de valores são estritamente regulamentados e padronizados. O problema aqui é que os mesmos exigem geralmente um investimento inicial muito maior do que os derivativos de OTC, dificultando desta forma o acesso aos traders e investidores de retalho.

Os diferentes instrumentos financeiros derivativos podem ser muito diversos, mas os principais são: os CFDs mencionados acima, contratos futuros, contratos a termo e opções. Vamos ver na secção abaixo quais são as características que cada um deles possui.

A Admiral Markets tem tipos distintos de contas de trading que se adaptam aos seus clientes! Saiba mais sobre a nossa oferta clicando na imagem que se segue:

Instrumentos Financeiros Derivativos - Tipos de Conta Disponíveis na Admiral Markets

Derivativos Financeiros - Mercado Derivativo CFD

Entre os derivativos financeiros mais utilizados pelos traders estão os contratos por diferença ou os CFDs. Um CFD é um contrato entre um trader e uma corretora, sendo que os mesmos trocam a diferença no preço de um ativo subjacente específico. Este contrato permanece ativo até que o trader decida fechá-lo, quando é liquidado em dinheiro, em nenhum momento o ativo negociado deve ser devolvido ou trocado.

Os CFDs oferecem aos investidores a oportunidade de trocar ativos sem a necessidade de ter de os possuir, podendo beneficiar-se assim de mudanças no preço. Quando negociamos contratos por diferença, o trader também pode tirar benefícios do aumento ou diminuição do preço do ativo subjacente. Se o trader acreditar que o preço irá aumentar, ele poderá abrir uma posição de compra, que é chamada de posição longa (ou long). Se, pelo contrário, o trader acreditar que o preço do ativo está numa tendência de queda, poderá abrir uma posição de venda, também chamada de posição short.

A diferença entre o preço estabelecido pelo trader no CFD e o preço quando a posição é fechada é traduzida em perdas ou ganhos para os participantes do mesmo. De uma forma geral, os contratos por diferença não expiram, são fechados manualmente ou quando negociamos os mesmos instrumentos, mas na direção oposta.

A maioria das corretoras oferece ativos financeiros diferentes como CFDs subjacentes: moedas, ações, títulos, índices, commodities, criptomoedas, ETFs e muito mais. A negociação de CFDs é muito semelhante à negociação de ações reais, mas tem muito mais vantagens em termos de custo e de conveniência. No entanto, também tem algumas desvantagens quando se trata de riscos.

Se deseja praticar o trading de CFDs sem arriscar o seu capital real, pode abrir uma conta demo de forma totalmente gratuita com a Admiral Markets. Desta forma pode praticar as suas técnicas e estratégias, através de backtesting. Clique na imagem que se segue para começar a negociar sem risco:

Começar a Negociar Derivativos Financeiros com uma Conta Demo

Derivados Financeiros - Futuros

Os primeiros contratos de futuros surgiram em 1851. O ativo subjacente do primeiro desses derivativos era o milho e foi usado pela Junta Comercial de Chicago. O plano era que o vendedor - o agricultor - e o comprador - uma empresa - participassem numa futura troca do produto a um preço predeterminado. Desde então, as negociações de futuros atraem cada vez mais compradores e vendedores.

Na prática, todos os mercados futuros têm uma matéria-prima como ativo subjacente, uma vez que foram compostos por agricultores, empresas de minérios ou produtores de petróleo que desejam reduzir o seu risco de não saberem o preço que irão receber pelo produto no futuro. Esta é a razão do nascimento de todos os instrumentos financeiros derivativos, como os futuros.

Embora os derivativos futuros fossem inicialmente destinados a agricultores, produtores de petróleo, mineradoras e empresas desse tipo de produtos, os movimentos de preços destes produtos atraíram muitos especuladores. Alguns deles entram e saem do mercado de futuros no mesmo dia, apesar de esses contratos geralmente expirarem em três meses.

No mercado futuro, é importante considerar o spread. Este termo refere-se à variação de preço entre dois futuros do mesmo ativo. Por exemplo, um trader pode ter duas posições futuras abertas para um determinado ativo ao mesmo tempo, mas com datas de vencimento diferentes para tentar beneficiar-se da diferença de preço.

É importante observar que todos os contratos futuros são padronizados. Basicamente, isto significa que todos os futuros têm as mesmas especificações, independentemente de quem os compra e quem os vende, em termos de quantidade, qualidade e liberação.

Por exemplo, qualquer trader que negocia futuros de petróleo na Bolsa de Nova York sabe que um contrato irá consistir em 1.000 barris de petróleo WTI com um certo nível de qualidade.

A maioria dos futuros é oferecida com códigos de cinco dígitos. Os dois primeiros símbolos identificam o produto, o terceiro identifica o mês e os dois últimos símbolos no ano. Por exemplo, os futuros de petróleo podem ser oferecidos como CLX20, onde CL significa petróleo, X = Novembro (há códigos para os meses) e 20 representa o ano 2020.

Análise do preço do petróleo no MetaTrader 5 - Derivados Financeiros

Fonte: Admiral Markets MetaTrader 5 Supreme Edition. Gráfico Diário CrudeOilUS_K0. Intervalo de dados: 16 de Dezembro a 13 de Abril de 2020. Elaborado a 14 de Abril de 2020. Observe que retornos passados não garantem retornos futuros.

Negoceie o CFD do Petróleo no Mercado Derivativo com a Admiral Markets

O Que é um Derivativo - Contratos Forward

Os chamados contratos forward ou contratos a termo, são derivativos financeiros que representam um contrato entre duas partes para comprar ou vender um determinado ativo subjacente a um preço específico numa data futura. Os contratos a termo podem ser usados como hedge ou para especulação.

Ao contrário dos futuros standard, estes tipos de contratos podem ser personalizados com base na matéria-prima, no volume e na data de vencimento. Neste caso, a liquidação pode ser feita em dinheiro ou com uma entrega real.

Na maioria dos casos, os contratos forwards são considerados de balcão (ou OTC) e não são negociados num mercado centralizado. Embora a sua natureza de venda livre os ajude a serem personalizados, estes contratos correm um risco maior de incumprimento. Por isso, eles não são muito acessíveis a investidores com pouco capital, os investidores retalhistas.

O mercado de contratos a termo cresceu exponencialmente depois de muitas grandes empresas os utilizarem para proteger os seus riscos de taxa de juros e moeda. No entanto, como os detalhes dos contratos a prazo são determinados pelo comprador e pelo vendedor e não são divulgados, é difícil estimar o tamanho deste mercado.

O grande tamanho e a natureza não regulamentada deste mercado significa que o mesmo pode estar sujeito a incumprimentos no pior dos casos. Embora os bancos e as empresas financeiras atenuem este risco, tendo muito cuidado na escolha da contraparte, há margem para incumprimentos em grande escala.

O que acontece se a taxa de juros contratual diferir significativamente da taxa vigente no momento da liquidação? Neste caso, a instituição financeira que criou o contrato a prazo terá maior risco de incumprimento pelo cliente do que se o mercado avalia-se regularmente o contrato.

Derivados Financeiros - Opções

Uma opção é um derivado financeiro baseado num ativo fixo, como as ações ou as moedas. As opções dão ao trader o direito, mas não a obrigação, de comprar ou vender o ativo subjacente a um determinado preço e vencimento. Por sua vez, o vendedor é obrigado a vender se o comprador solicitar e, em troca, recebe um prémio.

Os tipos mais comuns de contratos de opção são: call e put.

  • As opções de compra (call) permitem que o detentor compre um ativo a um preço definido por um tempo determinado.
  • As opções de venda (put) permitem ao detentor vender um ativo a um preço definido por um período de tempo determinado.

Cada opção tem uma data de validade específica na qual o titular deve exercer a sua escolha final. O preço declarado da opção é conhecido como preço de exercício. As opções são geralmente compradas e vendidas através de corretoras online.

Em termos geográficos, podemos dividir as opções em dois tipos: europeu e americano. Nas opções europeias, a escolha só pode ser exercida no vencimento; nas opções dos Estados Unidos, a opção pode ser exercida a qualquer momento antes da data de término.

Ao comprar opções, o único risco que o comprador assume é o prémio, mas a possibilidade de lucro é ilimitada. Devemos ter em mente que a venda de opções acarreta riscos ilimitados, por isso o vendedor terá que ter um cuidado especial com este tipo de investimento.

Vamos ver agora quais posições podemos abrir com opções:

  1. Posição longa numa opção de compra: comprar uma opção de compra significa que o preço base deve aumentar para que a opção tenha lucro, ou seja, devemos comprá-lo em uma tendência de alta.
  2. Posição longa numa opção de venda: comprar uma opção de venda significa que o preço do ativo subjacente deve aumentar para que a opção seja rentável. Desta forma, você pode proteger uma exposição do ativo subjacente contra uma queda no preço ou especulação para obter lucro num mercado em queda.
  3. Posição curta numa opção de compra: Quando a opção de compra é ativada pelo comprador, o vendedor é obrigado a ocupar uma posição curta no ativo subjacente ao receber um prémio. Este tipo de opção é vendido em antecipação à baixa volatilidade ou a uma quebra do mercado.
  4. Posição curta numa opção de venda: Quando a opção de venda é ativada pelo comprador, o vendedor concorda em ocupar uma posição longa no ativo subjacente ao receber um prémio. Este tipo de opção é vendido antecipando a estabilização do mercado e uma possível tendência de alta.

O valor do prémio pode ser descrito como a soma de dois componentes, da seguinte forma:

Valor da matéria-prima = valor intrínseco + valor do tempo

O valor intrínseco pode ser interpretado como a quantidade que pode ser obtida se a opção estiver ativada. O valor do tempo é a diferença entre o prémio e o valor intrínseco.

Negoceie Derivativos Financeiros com uma Corretora Regulada e de Confiança - Admiral Markets

Trading de Derivativos Financeiros VS Trading Direto

O trading com derivativos financeiros imita o trading direto, embora no caso dos derivativos o ativo subjacente não se possua, por isso pode ser uma boa alternativa ao investimento tradicional. Vejamos as diferenças entre comprar ações reais e negociar derivativos.

  • Os derivativos podem ser negociados em posições de compra ou de venda, ou seja, com long ou short.
  • O trading de derivativos financeiros possui impostos mais baixos em alguns países, mesmo que os lucros estejam sujeitos ao imposto de renda.
  • O trader, no caso dos derivativos, não possui o ativo subjacente no qual o derivativo se baseia, mas fecha um contrato com a corretora para trocar a diferença de preço entre a abertura da posição e o seu fecho.
  • Os derivativos podem ser negociados com recurso a margem, ou seja, o depósito inicial que a corretora bloqueia, permite que o investidor consiga gerir mais ativos porque não precisa de contribuir com todo o seu capital.

Uma das características mais atraentes da negociação de derivativos é o uso de alavancagem. Quando usam alavancagem, os traders não pagam o valor total do seu investimento, mas apenas uma percentagem dos lotes negociados. Assim, é possível que tenha uma maior exposição no mercado do que se tivesse investido da forma mais tradicional.

A alavancagem permite multiplicar os seus lucros e obter uma maior lucratividade com um pequeno investimento inicial. Tenha em conta que, o uso da alavancagem implica que também pode multiplicar as suas perdas caso o mercado vá contra a sua posição.

Por exemplo, com uma alavancagem de 1:30, podemos abrir uma posição de 30 vezes o nosso capital. No exemplo da imagem que se segue, pode ver como é uma operação com alavancagem de 1:30, com a Calculadora de Trading da Admiral Markets:

Exemplo da Calculadora de Trading da Admiral Markets - Derivativos Financeiros

Fonte: Admiral Markets. Captura de ecrã da calculadora de trading.

O trading com derivativos financeiros também tem as suas desvantagens, entre elas:

  • Você não possui as ações reais, o que o priva de alguns direitos, como o direito de voto numa assembleia geral de acionistas.
  • É um trading muito menos regulamentado do que as ações, por exemplo. Isto atrai muitas corretoras não regulamentados ou de baixo nível e até alguns que o vão tentar enganar.

Trading com Derivativos Financeiros

Uma das primeiras coisas que devemos fazer ao escolher a corretora com a qual queremos operar derivativos financeiros é verificar se a mesma está bem regulamentada, algo que pode ser feito consultando o próprio website. Se tiver dúvidas sobre a precisão dessas informações, pode ir diretamente ao regulador oficial e consultar a lista de empresas autorizadas.

Algumas informações importantes que deve ter em consideração são as seguintes:

  • A corretora deve pertencer a um estado membro da UE e ser oficialmente autorizada e regulamentada.
  • Evite corretoras regulamentadas em países pouco regulamentados.
  • No caso de Portugal, deve ser autorizada pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).
  • Se a corretora tiver regulamentos diferentes, deve-se garantir que pelo menos um deles seja a FCA do Reino Unido, sendo esta considerada a instituição mais rigorosa.

Também devemos ter em conta que, a 1 de Agosto de 2018, entrou em vigor um novo regulamento da Autoridade Europeia do Mercado de Valores Mobiliários (ESMA), que proíbe a negociação de opções binárias e reduz a alavancagem máxima possível a 1: 500 para investidores profissionais e a 1:30 para retalhistas nos pares moedas.

As corretoras que trabalham com clientes europeus devem cumprir rigorosamente estes regulamentos.

A Admiral Markets é uma corretora regulamentada por várias entidades, nomeadamente pela FCA do Reino Unido e também pela ASIC da Austrália.

Plataformas de Trading de Instrumentos Financeiros Derivativos

Quando um profissional deseja dar os seus primeiros passos no trading de derivativos como o Forex ou no mercado de ações, ele deve escolher uma plataforma de negociação. Esta é uma decisão muito importante, já que irá passar várias horas a utilizar a plataforma para fazer as suas trades, às vezes até diariamente. Existem vários tipos de plataformas online, que podem dificultar a sua escolha, especialmente para os iniciantes. Neste sentido, devemos ter em consideração os seguintes pontos:

  • Se é gratuita ou paga
  • Se permite operar com os ativos que lhe interessam
  • Se permite o trading de derivativos
  • Se as ordens são executadas rapidamente
  • Se é intuitiva e fácil de usar

A principal plataforma de negociação nos dias de hoje é o MetaTrader 5, a versão mais recente desenvolvida pela MetaQuotes. Esta plataforma oferece muitas ferramentas de análise técnica e continua a dar aos investidores a capacidade de usar e desenvolver ferramentas personalizadas, através da linguagem de programação própria MQL5.

A Admiral Markets oferece o MT5 e a sua versão anterior, o MetaTrader 4. Além disso, possui um plugin exclusivo e completamente adaptável a qualquer uma das duas plataformas: o MetaTrader Supreme Edition, que adiciona mais de 60 recursos avançados. Algumas destes recursos são:

  • Sentimento do Mercado. Analise o sentimento do mercado entre os investidores a nível global.
  • Mini Terminal - uma ferramenta que facilita o controlo de toda a sua conta.
  • Trade Terminal - uma forma eficaz de abrir e fechar ordens de trading.
  • Tick Chart Trader - segue todos os movimentos de preços de um forma bastante rápida e fácil.

Se você já possui o MetaTrader instalado e deseja instalar este plugin, basta seguir os passos especificados neste vídeo:

Trading de Derivativos Financeiros - Como Começar

Você pode começar a negociar derivativos financeiros em apenas três simples etapas:

  1. Abra uma conta de trading
  2. Faça o download da sua plataforma de trading
  3. Abra uma nova ordem de trading

Trading com a Admiral Markets

Se deseja abrir uma conta de trading na Admiral Markets, clique no botão verde que se encontra no canto superior direito. Depois de se registar connosco, pode abrir uma conta real ou começar com uma conta demo, onde pode negociar com dinheiro fictício livre de riscos. Se optar por uma conta real, terá à sua disposição vários tipos de contas, dependendo dos ativos com os quais pretende operar:

Tipos de conta disponíveis pela Admiral Markets - instrumentos financeiros derivativos

Fonte: Admiral Markets. Captura de ecrã dos tipos de conta disponíveis.

Uma vez solicitada a abertura da conta, a corretora irá solicitar toda a documentação necessária e, uma vez aprovada a documentação, a sua conta será então ativada. Após este processo inicial, basta fazer o download da sua plataforma de trading, neste caso o MetaTrader 4 ou o MetaTrader 5.

Poderá iniciar o processo de criação da sua conta clicando no seguinte banner:

Abrir uma conta real e começar a negociar derivados financeiros

Aprender Trading

Sobre a Admiral Markets

Sendo um broker regulado, fornecemos acesso a algumas das plataformas de trading mais utilizadas no mundo. Você pode negociar connosco CFDs, ações e ETFs.

Aviso: Os dados fornecidos fornecem informações adicionais sobre todas as análises, estimativas, prognósticos, previsões ou outras avaliações ou informações similares (doravante "Análise") publicadas no site da Admiral Markets. Antes de tomar qualquer decisão de investimento, preste muita atenção ao seguinte:

  1. Esta é uma comunicação de marketing. A análise é publicada por motivos informativos apenas e não é construída sob a forma de aconselhamento ou recomendação de investimento. Não foi elaborado de acordo com os requisitos legais destinados a promover a independência da pesquisa de investimento, e que não está sujeito a qualquer proibição de lidar com a disseminação da pesquisa de investimento.
  2. Qualquer decisão de investimento é tomada por cada cliente, enquanto a Admiral Markets não será responsável por qualquer perda ou dano decorrente de tal decisão, com ou sem base na Análise.
  3. Cada uma das Análises é preparada por um analista independente (Saulius Radžiūnas, Trader Profissional e Analista) com base em estimativas pessoais.
  4. Para garantir que os interesses dos clientes sejam protegidos e a objetividade da Análise não seria prejudicada, a Admiral Markets estabeleceu procedimentos internos relevantes para a prevenção e gestão de conflitos de interesse.
  5. Embora todos os esforços razoáveis sejam envidados para garantir que todas as fontes da Análise sejam fiáveis e que todas as informações sejam apresentadas, tanto quanto possível, de uma forma compreensível, oportuna, precisa e completa, a Admiral Markets não garante a exatidão ou integridade de qualquer Análise ou informações contidas na Análise. Os números apresentados referem que qualquer desempenho passado não é um indicador confiável de resultados futuros.
  6. O conteúdo da Análise não deve ser interpretado como uma promessa expressa ou implícita, garantia ou implicação por parte da Admiral Markets de que o cliente lucrará com as estratégias aqui contidas ou que as perdas em relação a elas serão limitadas.
  7. Qualquer tipo de desempenho prévio ou modelado de instrumentos financeiros indicados na publicação não deve ser interpretado como uma promessa expressa ou implícita, garantia ou implicação da Admiral Markets para qualquer desempenho futuro. O valor do instrumento financeiro pode aumentar e diminuir e a preservação do valor do ativo não é garantida.
  8. As projeções incluídas na Análise podem estar sujeitas a taxas adicionais, impostos ou outros encargos, dependendo do assunto da Publicação. A lista de preços aplicável aos serviços prestados pela Admiral Markets está disponível publicamente no site da Admiral Markets.
  9. Produtos alavancados (incluindo contratos por diferença) são de natureza especulativa e podem resultar em perdas ou lucros. Antes de começar a negociar, certifique-se de que compreende todos os riscos.

CFDs são instrumentos complexos e acarretam um elevado risco de perder dinheiro rapidamente devido à alavancagem.