Wall Street cai à medida que os preços altos do petróleo alimentam mais incertezas

Março 08, 2022 21:43

No anúncio de segunda-feira, a incerteza voltou a fazer-se sentir nos mercados financeiros, e não faltaram pontos de discussão.

Começamos com o rublo russo, que começou esta semana de forma semelhante à anterior. Ao longo da semana passada, o rublo caiu mais de 23% em relação ao dólar e, ontem, a moeda russa encerrou a sessão com uma perda de 26,82% em um único dia frente ao dólar, em um mercado cada vez mais ilíquido.

Com uma incerteza contínua, o ouro favorito dos 'safe havens' tem vindo a subir de forma constante, subindo mais de 10% desde o início de fevereiro e fazendo com que muitos questionem quando, e não se, o metal precioso brilhante mais uma vez quebraria acima de $2.000 a onça. Aconteceu ontem, com o ouro a tocar brevemente nos $2.002,40, antes de recuar abaixo do importante nível de $2.000.

No entanto, é outra a mercadoria que continua a roubar a maioria dos destaques, e é para essa mercadoria que agora voltamos a nossa atenção. Petróleo.

O petróleo bruto continua o seu aumento implacável, com o petróleo Brent a ser negociado brevemente acima de $140 por barril no domingo pela primeira vez desde 2008. Este ficou abaixo desse nível à medida que a sessão avançava, mas permanece em alta de quase 40% desde o início de fevereiro. O petróleo WTI, outra referência global para o petróleo bruto, ganhou mais de 35% no mesmo período.

Esse aumento nos preços do petróleo está a alimentar a incerteza no mercado de ações, já que os investidores estão cada vez mais preocupados com a perspectiva de uma inflação já alta se tornar ainda mais alta. À medida que o petróleo se torna mais caro, os custos dos 'inputs' aumentam para as empresas, que repassam o aumento dos custos aos consumidores, pressionando os preços para cima.

Este desconforto foi evidente em Wall Street ontem, com o Dow Jones, S&P 500 e Nasdaq Composite caindo 2,37%, 2,95% e 3,62%, respectivamente, levando as perdas no acumulado do ano para 9,7%, 11,9% e 18%.

Embora os preços altos do petróleo possam estar a aumentar as preocupações atuais dos investidores, muitas ações de petróleo e gás provavelmente irão beneficiar do recente aumento dos preços. Uma dessas empresas, a Occidental Petroleum, chegou às manchetes ontem graças a um novo investidor de alto nível.

Entre quarta e sexta-feira da semana passada, a lendária Berkshire Hathaway, de Warren Buffet, comprou 61,4 milhões de ações da empresa, por um total de cerca de $5,1 biliões. A Berkshire já possuía $10 bilhões em ações preferenciais da empresa antes de seu último investimento.

A grande compra sugere que a Berkshire Hathaway, que também detém uma participação de mais de $6 biliões na gigante petrolífera Chevron, está a preparar-se para que os preços do petróleo permaneçam altos e possivelmente subam ainda mais no futuro.

As ações da Occidental Petroleum, que subiram quase 45% na semana passada, caíram 1,37% durante a sessão de ontem.

Fonte: Admirals MetaTrader 5 – Occidental Petroleum Gráfico Diário. Período: 2 de julho de 2021 a 7 de março de 2022. Data da captura: 7 de março de 2022. O desempenho passado não é um indicador confiável de resultados futuros.

Fonte: Admirals MetaTrader 5 – Gráfico Semanal da Occidental Petroleum. Período: 23 de agosto de 2015 – 7 de março de 2022. Data da captura: 7 de março de 2022. O desempenho passado não é um indicador confiável de resultados futuros.

Invista com a Admirals

Com uma conta Invest.MT5 da Admirals, pode comprar ações da Occidental Petroleum, Chevron e mais de 4.300 outras empresas listadas em 15 das maiores bolsas de valores do mundo. Clique no banner abaixo para se registrar para uma conta hoje:

INFORMAÇÃO SOBRE MATERIAIS ANALÍTICOS:  

Aviso: Os dados fornecidos fornecem informações adicionais sobre todas as análises, estimativas, prognósticos, previsões ou outras avaliações ou informações similares (doravante "Análise") publicadas nos websites das empresas de investimento da Admirals. Antes de tomar qualquer decisão de investimento, preste muita atenção ao seguinte:

  • Esta é uma comunicação de marketing. A análise é publicada por motivos informativos apenas e não é construída sob a forma de aconselhamento ou recomendação de investimento. Não foi elaborado de acordo com os requisitos legais destinados a promover a independência da pesquisa de investimento, e que não está sujeito a qualquer proibição de lidar com a disseminação da pesquisa de investimento.
  • Qualquer decisão de investimento é tomada por cada cliente, enquanto a Admirals não será responsável por qualquer perda ou dano decorrente de tal decisão, com ou sem base na Análise.
  • Para garantir que os interesses dos clientes sejam protegidos e a objetividade da Análise não seria prejudicada, a Admirals estabeleceu procedimentos internos relevantes para a prevenção e gestão de conflitos de interesse.
  • Cada uma das Análises é preparada por um analista independente,(doravante "Autor"), com base em estimativas pessoais.
  • Embora todos os esforços razoáveis sejam feitos para garantir que todas as fontes da Análise sejam fiáveis e que todas as informações sejam apresentadas, tanto quanto possível, de uma forma compreensível, oportuna, precisa e completa, a Admirals não garante a exatidão ou integridade de qualquer Análise ou informações contidas na Análise. Os números apresentados referem que qualquer desempenho passado não é um indicador confiável de resultados futuros.
  • O conteúdo da Análise não deve ser interpretado como uma promessa expressa ou implícita, garantia ou implicação por parte da Admirals de que o cliente lucrará com as estratégias aqui contidas ou que as perdas em relação a elas serão limitadas.
  • Produtos alavancados (incluindo contratos por diferença) são de natureza especulativa e podem resultar em perdas ou lucros. Antes de começar a negociar, certifique-se de que compreende todos os riscos.
Roberto Rivero
Roberto Rivero Escritor Financeiro, Admirals, Londres

Roberto passou 11 anos a projetar sistemas de trading e tomada de decisão para traders e gestores de fundos e mais 13 anos na S&P, a trabalhar com investidores profissionais.